agenda 2030/Divulgação Imediata/ECOSOC/HLPF/Notícias/ODS, GT, objetivos-de-desenvolvimento-sustentável, sociedade-civil

GTSC 2030 EM MOVIMENTO

México D.F. – Representantes do Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030 do Desenvolvimento Sustentável participaram do primeiro Fórum dos países da América Latina e do Caribe para o Desenvolvimento Sustentável, organizado pela CEPAL entre os dias 26 e 28 de abril, a fim de obter aportes e insumos regionais para o Fórum Político de Alto-Nivel do Ecosoc-ONU em julho.

Estiveram presentes Alessandra Nilo (Gestos), Maitê Gauto (Fundação Abrinq), Rubens Born (Fundação Esquel e FBOMS) e Flávio Debique (Plan Internacional).

No dia anterior ao Fórum, foi realizado um Fórum da sociedade civil para análise de conjuntura e pensamento estratégico de atuação em sua árdua tarefa. Os debates giraram em torno da construção da Declaração da Sociedade Civil e da definição de mecanismos e modalidades para participação das comunidades nos Fóruns seguintes. Foram muitas as críticas ao processo organizativo para este primeiro evento. Acordou-se que a manutenção do Fórum prévio da SC é estratégico mas que deveríamos avançar também para a institucionalização da participação durante também durante o evento oficial. Assim, foi conformado um grupo de trabalho aberto, com o objetivo específico de receber sugestões sobre mecanismos, analisa-las e apresentar uma proposta para que seja aprovada no segundo Fórum da Sociedade Civil, em 2018. Gestos e Plan participam do GT, mas este ficará aberto até o início de Agosto para inclusão de novos membros.

Alessandra Nilo (Gestos) no Fórum da Sociedade Civil.

Outro aspecto complexo é que, durante o Fórum Regional, a princípio não teria uma resolução a ser aprovada em forma de consenso entre os países, mas dias antes do evento, o Governo Mexicano propôs um texto a ser enviado para o Ecosoc. Mesmo com as reclamações de alguns países, que não se preparam para negociar, as negociações avançaram. Foi difícil para a sociedade civil pautar algumas agendas importante. Questões relevantes como a afirmação do Consenso de Montevidéu e progressividade fiscal, por exemplos, ficaram de fora, mesmo sendo altamente relevantes para nossa Região.

Alicia Bárcenas, Diretora Executiva da CEPAL recebe de Alessandra Nilo e Rubens Born (FBOMS) a nota da campanha por taxas sobre transações financeiras internacionais.

Na mesa de debates sobre Meios de Implementação, no último dia do Fórum, Rubens Born foi expositor, lembrando às autoridades e pares presentes a história dos últimos vinte e cinco anos até chegarmos onde estamos, para mostrar o quanto há a ser feito se de fato e seriamente é possível pensar em um mundo onde o investimento econômico está integrado de forma construtiva com o ambiental e o social. Muito a ser conquistado nos corações, mentes e rubricas de orçamento dedicado para que essa Agenda se torne realidade na América Latina e não seja “uma música silenciosa”, como caracterizou Rubens Born em sua fala.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s